Escrava karmen

 

Dia 26 de junho passei a ser Dono desta escrava. A única submissa, entre todas que já tive, que não teve contato com as minhas outras escravas. Elas sabiam da existência da karmen e vice versa, mas não havia contato entre elas, seja real ou virtual.

Essa decisão que tomei é o exemplo de que para mim a submissa é única, assim como também é individual o tratamento que dou a cada uma delas. Seria muito mais fácil tratar todas num mesmo padrão, mas vejo essa diferença como respeito a individualidade de cada uma.

 

A forma como nos conhecemos e começamos a nos relacionar me fez ver que era possível viver uma relação de dominação e submissão (D/s) sem que a escrava percorresse os caminhos tradicionais da minha fantasia. Entendi que ela não precisava conviver com as outras submissas para responder às minhas expectativas. De fato, fui muito feliz no tempo que ela me serviu.

A minha poetisa ou "sukatinha" como eu gostava de chamá-la era dona de uma espiritualidade sem igual e de uma presença marcante. Chamá-la de poetisa era reconhecer todo o talento e habilidade que ela tinha na arte de brincar com as palavras.

As palavras pareciam borbulhar de sua mente e coração e aos poucos eram harmonizadas em perfeita simetria transformando-se nos belos poemas de sua autoria. Às vezes ela me presenteava com mais de um poema por dia, nos onze meses que foi minha. Carinhosamente eu compilei todos eles e guardo com muito zelo até hoje. Ao todo foram 343 poemas.

Abaixo compartilho três das suas muitas produções, sendo a última escrita no final do nosso relacionamento D/s. Meu muito obrigado, minha sempre sukatinha, você mora no meu koração. Esteja bem sempre e quando quiser voltar já conhece muito bem o caminho!!! 


 

Equilíbrio

02/08/2006

 

Entre o sol e a terra,
o calor.

Entre o oceano e a praia,
o mar.

Entre a praia e a areia,
as ondas.

Entre um dia e outro,
as horas.

Entre as horas e os minutos,
os segundos.

Entre as estrelas e a lua,
o infinito.

Entre um toque e outro,
descobertas.

Entre um abraço e outro,
o calor.

Entre um beijo e outro,
o prazer.

Entre um açoite e outro,
a dor.

Entre nós dois,
poder e submissão,

ordem e obediência...
E muito, muito, muito mais...

 


 

 

Três meses de submissão

26/09/2006

T enho um Dono!!
R espeito-o, admiro-o por isso entreguei-me...
E stou a mercê de seus caprichos e desejos
S ua inicial, trago no pescoço: K@ de Mestre K@

M eus prazeres já não contam mais, sou cativa...
E stou aprendendo a despir-me dos desejos
S ou sabiamente conduzida pelo meu Senhor
E ncontro-me num Vale Encantado
S ou sua de corpo e alma

D esejo seus castigos, suas ordens
E nsurdeço quando não ouço sua voz

S into-me despida de minhas vergonhas
U sando venda, embriago-me com sua miragem
B eijo e lambo seus pés com ardor se assim o desejar...
M esmo solta, sinto-me amarrada e dos seus pés não mais sairei.
I ntroduzi sua marca em minh'alma
S ou seu objeto, quieto, atento, esperando...
S omente esperando por ti, meu Senhor...
A nseio por ver suas fantasias realizadas
O brigada por aceitar me tirar do nada e me conduzir por esta estrada.

 


Leia o  Um Encanto de Conto.  O Nosso! 

 

 

 


  • Negrito
  • Itálico
  • Sublinhado
  • Stroke
  • Citação
  • Smileys
  • :confused:
  • :cool:
  • :cry:
  • :laugh:
  • :lol:
  • :normal:
  • :blush:
  • :rolleyes:
  • :sad:
  • :shocked:
  • :sick:
  • :sleeping:
  • :smile:
  • :surprised:
  • :tongue:
  • :unsure:
  • :whistle:
  • :wink:
 
  • 500 Caracteres restantes