A Cerimônia das Pedras

Criada, no Reino de K@, para celebrar cinco anos de Koleira de uma escrava. Todos os anos de uma relação D/s são importantes, mas alguns deles têm um charme especial e por isto o destaque.

 

 

A pedra, reconhecida pela força e durabilidade, foi escolhida como elemento símbolo de uma relação de paz, harmonia e muito amor. Toca-se o sino para marcar o início da Cerimônia...

 

 

A escrava com um véu cobrindo-lhe a cabeça é conduzida lentamente até o Mestre, sobre um caminho formado por velas laranja, coberto de pétalas coloridas e pequenas pedras.

 

O Mestre  ordena que ela ajoelhe-se e beije os seus pés em sinal de sua submissão.  

 

Toca-se  o sino novamente. 

 

O Mestre fala da importância do momento.

 

O entendimento da liturgia vai de cada um. Eu gosto da idéia de ser um portal que ao ser atravessado marca o exato momento do início de uma vivência. Rituais emocionam, encantam e possibilitam uma melhor e mais profunda imersão em nossas fantasias. É a liturgia que torna o BDSM único e ao mesmo tempo mágico, que mexe tanto com nossas emoções e permite uma entrega que, muitas vezes, sequer podíamos imaginar.

 

Ao contrário de outras Oportunidades desta vez, minha escrava, não será você quem lerá o seu Compromisso de Entrega. Eu quem quero falar.

 

Quero dizer que me sinto especialmente realizado por perceber que as palavras nele escrita, no começo de nossa relação, não foram apenas jogadas ao vento.

 

Que você nestes cinco anos entregou-se de forma incondicional e irrestrita, mesmo diante de suas dificuldades. Inúmeras vezes superando seus limites de uma forma como, poucas vezes, o meio BDSM imaginou que uma escrava fosse capaz de fazê-lo. 

 

Hoje, tenho a certeza de que a argila que me foi entregue no passado, transformou-se num exemplo de escrava, numa mulher melhor e mais completa, que sabe lidar com seus sentimentos e que sente prazer em sua entrega. 

 

Sinto-me realizado como Dominador. Sei que mais do que sua koleira social, você carrega em seu koração a marca de minha propriedade.

 

Numa aparador, incenso de rosas, uma taça com vinho e uma bacia de cerâmica com uma mistura de água, óleo de lavanda e pétalas de rosas brancas. 

 

Numa caixinha ao lado, a nova coleira da escrava.

 

O Mestre então se levanta, retira o véu que cobre o rosto da escrava e ordena que ela sente-se onde antes Ele estava.

 

Em seguida, pega a bacia com a poção laranja  e passa nos pés da escrava...

 

Neste momento, convido-a a renovar as nossas forças para seguirmos adiante por muitos outros anos.  Temos defeitos e fraquezas, não somos perfeitos, mas são nossas virtudes que nos fazem fortes e indestrutíveis, assim como as pedras o são.

 

Mais uma vez a recebo como minha. 

 

Renovo a promessa de que te protegerei e cuidarei para sempre. Que as marcas destes cinco anos de nossa relação, possam se consolidar em sua alma como estas pedras que pisou durante o seu caminhar.  

 

Você mudou completamente a minha forma de ver o SM. Obrigado por ser a pessoa que me ensinou amar e ser amado. 

 

Toca-se  o sino. 

 

O Mestre recoloca a coleira em sua escrava, que havia sido retirada para ser forjado em Ouro Branco um filete como símbolo dos cinco anos de relação.

 

O ouro foi escolhido, por ser encontrando, naturalmente, em forma de pedra e que ao submeter-se ao fogo, torna-se líquido para ser, aos poucos, moldado de acordo com os desejos do artesão até que, novamente, ao voltar à temperatura ambiente, ganhe forma, solidez e brilho especial.

 

Para os Egípcios e no Oriente era considerado um metal eterno, simbolizava a vida eterna e por isto é usado nas alianças de casamento ou compromissos. Um metal precioso que não é afetado pela maioria de agentes externos. Associado ao sol devido à sua cor e brilho. 

 

Convido-a beber em minha companhia, do meu vinho e na minha taça para lembrar do nosso passado, para celebrar o presente e nos fortalecer para o futuro que está por vir.

 

Toca-se o sino para marcar o fim da Cerimônia..

 

 

O Simbolismo

 

As Pedras: Elemento forte e duradouro. Símbolo de um caminho de paz, harmonia e muito amor.

 

Caminho de Pétalas: As pétalas simbolizando as mais variadas vivências, daquelas comemorativas – representada pelo rosa –, passando pelas mais ternas – pétalas brancas – até as de maior prova de entrega e amor – vermelhas. 

 

Pequenas Pedras: As pedras para que a escrava nunca se esqueça das privações, provações e sofrimento do papel que ela escolheu para si. 

 

Velas Laranja: Representando a Classe que a escrava pertence no Reino de K@

 

Ouro Branco na Koleira: Para os Egípcios e no Oriente era considerado um metal eterno, simbolizava a imortalidade e por isto é usado nas alianças de casamento ou compromissos. 

 

 

"A PEDRA…

Antonio Pereira (Apon)

 

O distraído, nela tropeçou,

o bruto a usou como projétil,

o empreendedor, usando-a construiu,

o campônio, cansado da lida,

dela fez assento.

Para os meninos foi brinquedo,

Drummond a poetizou,

Davi matou Golias...

Por fim;

o artista concebeu a mais bela escultura.

Em todos os casos,

a diferença não era a pedra.

Mas o homem.

 


  • Negrito
  • Itálico
  • Sublinhado
  • Stroke
  • Citação
  • Smileys
  • :confused:
  • :cool:
  • :cry:
  • :laugh:
  • :lol:
  • :normal:
  • :blush:
  • :rolleyes:
  • :sad:
  • :shocked:
  • :sick:
  • :sleeping:
  • :smile:
  • :surprised:
  • :tongue:
  • :unsure:
  • :whistle:
  • :wink:
 
  • 500 Caracteres restantes