História dos Sapatos

Criados para oferecer proteção aos pés, os calçados são a verdadeira paixão feminina em todo o mundo e em algumas culturas foi e ainda hoje são sinônimos de posição social e status econômicos. 

 

Alguns historiadores datam que os primeiros calçados foram criados entre 3.000 A.C. e 2.000 A.C. no Antigo Egito, mas resquícios históricos encontram evidências no Período Paleolítico, também conhecido como Idade da Pedra Lascada, sendo que estas evidências datam entre 14.000 A.C. e 10.000 A.C.,

uma vez que pinturas rupestres encontradas na Europa em países como França e Espanha, fazem referências a utensílios utilizados para a proteção dos pés deste homem pré-histórico.

 

Os sapatos chegaram ao Brasil somente em 1808 quando a corte portuguesa veio ao Brasil. Foi nessa época que o sapato começou a virar artefato de moda e começou a ser objeto de requinte e desejo. Mas, nesta época a maior parte dos sapatos ainda era importada da Europa, apesar de que as sapatarias já estavam se instalando no Rio de Janeiro. 

 

Nesta época, o modelo básico era uma botinha fechada, apesar do calor do Brasil. 

 

Os calçados só tomaram mesmo forma e alturas no final do Renascentismo - século XVII -  quando surgiram os primeiros saltos com a intenção de elevar a estatura das mulheres. As mulheres mais observadoras imaginaram que suas silhuetas poderiam ganhar contornos mais sensuais com o calcanhar elevado, projetando o tórax para frente e dessa maneira ressaltando os seios e foi nesta época, em função de melhorar a estabilidade ao caminhar,  que começou a preocupação com detalhes e diferenciações entre os pés direito e esquerdo. 

 

Tipos de Saltos 

 

Cristal ou Clear - Muito mais do que um tipo de salto, é sim um estilo, pois os modelos podem ser dos mais variados possíveis, sendo que a principal característica destes saltos é sua translucidez, ou transparência. 

 

Ballet - Utilizado em calçados com forte apelo de sensualidade e fetiches, pois é praticamente impossível conseguir utilizá-lo para caminhas mais do que alguns pouquíssimos metros, uma vez que a pressão exercida pelo peso do corpo é direcionada totalmente aos dedos, ou ainda pior as pontas dos dedos, como uma sapatilha de ballet, daí o seu nome.

 

Flat - Salto extremamente baixo. Estes saltos são muito comuns em sapatilhas, embora estejam presentes nos mais diversos modelos.

 

Escultural - Foi na primeira década do século XXI, que mostrou toda sua exuberância e arrojo, talvez devido à evolução das matérias-primas que conseguem dar sustentação ao peso de quem os utiliza e a imaginação dos designers, que vão buscar as mais infinitas fontes de inspiração para as formas e adornos destes saltos.

 

Luiz XV Modificado - Mais uma vez Roger Vivier, foi o protagonista na criação, ou reformulação do tradicional salto Luiz XV, onde a exemplo do salto vírgula invertida, o salto Luiz XV Modificado, teve seu formato invertido tornado-se assim, um salto com formas mais leves do que o tradicional Luiz XV.

 

Vírgula Invertido - Como o próprio nome já diz, ele tem o formato invertido ao da tradicional salto vírgula.

 

O Sistema de Medida 

 

A primeira descrição oficial de um sistema de tamanhos para calçados foi publicada na Inglaterra em 1688. Menciona-se um acordo entre sapateiros para utilizar um sistema de um quarto de polegada (0,635 cm) como padrão. 

 

Mais de um século depois, uma nova medida foi instituída pelos fabricantes ingleses: um terço de polegada (0,846 cm), o equivalente a um grão de cevada, que era justamente a medida usada pelo rei Eduardo I, no século 14, como padrão para os calçados. 

 

Essa medida virou uma unidade métrica chamada ponto, que, na esteira da Revolução Industrial, entrou no primeiro sistema de numeração para fábricas de calçados, criado em 1800 pelo americano Edwin B. Simpson.

 

O sistema incluía também medidas de meio ponto, usadas até hoje nos EUA e na Inglaterra. Os fabricantes só começaram a utilizar o método em 1808, mas ele sobreviveu e dura, com pequenas variações, até hoje. Outros países, como o Brasil, adotaram sistemas diferentes, mas sempre baseados na idéia de ponto. 

 

O sistema brasileiro usa o ponto francês – dois terços de centímetro –, que é mais ou menos o padrão em toda a Europa continental. 

 

 

Curiosidades 

  • Afrodite, a deusa grega do amor, era freqüentemente representada nua, apenas com um par de sandálias nos pés;
  • Os egípcios e os romanos desenhavam as caras dos seus inimigos nas solas das sandálias para que pudessem literalmente pisá-los;
  • Os saltos vermelhos, que eram um símbolo de classe na Europa dos séculos XVII e XVIII, eram usados apenas pelas classes privilegiadas;
  • Maria Antonieta tinha a seu serviço um criado apenas para cuidar dos seus 500 pares de sapatos, que estavam catalogados por data, cor e modelo;
  • Nas décadas de 1880 e 1890 não era de bom tom que uma senhora chamasse demasiado a atenção em público. Regras sobre o vestuário decente que se deveria usar impunham sapatos escuros;
  • Durante os anos 30 e 40, os sapatos de dia que mostrassem os dedos dos pés eram considerados indecentes;
  • Na tradição dos casamentos anglo-saxônicos, o pai da noiva dava ao noivo um dos sapatos da filha para simbolizar transferência de autoridade;
  • Uma pessoa caminha em média 3000 km por ano;

 

As botas até a coxa eram originalmente usadas pelos piratas e contrabandistas que escondiam nelas valores roubados (booty em inglês) - uma prática que deu origem ao termo bootlegging (contrabando).

 

Fontes de Pesquisa: Blog da MulherSalto 15,  Faz Fácil e Portal das Curiosidades 

 

por: kariane { K@ }


henrique barros Gravatar   Website 24.05.2017 13:31
historia dos sapatos muito bacana aprendi a historia dos sapato kkk parabens
 
  • Negrito
  • Itálico
  • Sublinhado
  • Stroke
  • Citação
  • Smileys
  • :confused:
  • :cool:
  • :cry:
  • :laugh:
  • :lol:
  • :normal:
  • :blush:
  • :rolleyes:
  • :sad:
  • :shocked:
  • :sick:
  • :sleeping:
  • :smile:
  • :surprised:
  • :tongue:
  • :unsure:
  • :whistle:
  • :wink:
 
  • 500 Caracteres restantes