A Rainha Convidada

Eu morava com meu DONO já há algum tempo. Tínhamos uma relação estável e intensa. Seu sadismo me levava sempre a romper limites e era exigida cada dia mais. Meu Dono não tolerava erros e assim que estabelecemos nossa relação, larguei emprego e vida pessoal para viver só a minha submissão para que pudesse me despojar cada vez mais dos sentimentos da vida baunilha e ser simplesmente submissa.

Cumpria sempre à risca tudo que meu Dono ordenava e nunca contestei ordem nenhuma. Eu tinha plena confiança de que Ele sabia o que era melhor para mim e o que dava prazer a Ele. Apesar do rigor com que eu era dominada, nem sempre conseguia cumprir tudo acertadamente e meus erros

deixavam meu Dono decepcionado e ainda mais sádico para me corrigir. Nada escapava a Ele que era muito atento.

Tudo girava sempre em torno dos desejos de meu DONO. Eu não tinha safe, porque confiava Nele e aceitava tudo que Ele me impunha. Todas as vontades e desejos Dele foram um a um realizados. Ele me preparava muito antes, mas não aceitava uma recusa minha. Foi assim quando logo no começo, exigiu que eu cortasse bem curtinhos, meus longos cabelos. Também quando decidiu que eu deveria ter uma marca Dele definitiva em meu corpo e me levou a um profissional que tatuou na minha nuca, a marca de meu DONO. Nunca mais tive permissão de deixar meus cabelos crescer para que a tatuagem não ficasse escondida. Meu Dono era assim... decidia uma coisa, simplesmente chegava e me comunicava dizendo que eu ficasse preparada para o momento da realização.

Nossa vida não tinha rotina e a cada dia uma novidade surgia me fazendo cada vez mais submissa e entregue às Suas vontades. Aprendi a viver sem vontades e desejos. Tudo era feito com a permissão Dele. Até para ir ao banheiro ou beber água, deveria ser com Sua permissão. E assim eu vivia e era feliz. Meu Dono tinha outras escravas que vinham constantemente ao nosso apartamento onde fazíamos a sessão sempre por vontade Dele. Submeti-me muitas vezes às outras escravas, sendo usada das mais diferentes formas de acordo com as vontades Dele naquele momento.

Eu ficava feliz por vê-Lo sempre realizado. Tinha ciúme das outras, mas não podia nem devia demonstrar porque senão era castigada severamente. Muitas vezes dormi aos pés da cama, vendo outra escrava com Ele na cama. E nessa hora Ele adorava me humilhar e então eu era mais usada ainda pelas escravas proporcionando a meu Dono gozos intensos.

Mas Ele ainda tinha um desejo que não havia realizado e eu sabia que era só uma questão de tempo. Que Ele devia estar tratando de realizar e só esperava com ansiedade. Foi então que Ele chegou do trabalho numa sexta-feira e disse:

- Minha vadia, amanhã vamos receber uma Rainha em casa. Ela é bem severa e sádica. Além de uma mulher elegante e que merece ser bem recebida. Quero que prepare um jantar requintado para nós dois e que torne esse jantar inesquecível, entendeu?

Completamente gelada, eu apenas acenei com a cabeça, ao que prontamente recebi um forte tapa no rosto.

- Esqueceu como deve se dirigir a mim cadela? Você está louca de se comportar assim. Lembre-se, será a primeira vez que vou recebê-La aqui e não quero um deslize seu sequer, senão pagará muito caro por eles.

Respondi prontamente:

- Sim Senhor.

Queria perguntar a Ele se eu ficaria à disposição da Rainha, mas não ousei. Guardei minhas duvidas e começamos a conversar sobre o que Ele queria para o jantar. Ainda ordenou que eu me preparasse para receber a Rainha. Que cuidasse das unhas, depilação, cabelos e me apresentasse como uma submissa deve se apresentar à frente de Dominadores.

O sábado transcorreu rapidamente devido a tantos preparativos. Meu Dono se dedicava ao encontro e eu à tudo que se referisse ao bem estar da Rainha, inclusive com minha aparência. Eu sabia que deveria estar nua, e que deveria reverenciar a Senhora assim que Ela chegasse.

Sábado à noite, ela chegou e assim que entrou, me ajoelhei diante Dela e beijei Seus pés com respeito e devoção. Notei que era uma mulher linda, de corpo escultural e muito sensual. Também notei que tinha um olhar sádico quando se dirigia a mim e isso me arrepiou. Recebi ordens de me levantar e servir as bebidas e aperitivos. Eles bebericavam entre conversas divertidas e demonstravam terem intimidade e muita amizade. Servi o jantar que transcorreu muito animado. Eu fiquei de quatro na cozinha de frente para uma parede e de costas para Eles. Ouvi casos de muito sadismo, que me deixaram apavorada e entendi que esta era a intenção mesmo. O jantar terminou e enquanto Eles continuavam a conversa na sala de estar, eu limpava tudo como sempre fazia.

Fui para perto Deles, me ajoelhei no chão e me coloquei à disposição. Depois de um tempo longo, já tarde da noite, resolveram que estava na hora de se deitarem e acompanhei a Rainha até o Seu quarto, onde tudo estava impecavelmente arrumado. Recebi um elogio e um tapinha na bunda dizendo que eu tinha mesmo caprichado em tudo. Agradeci e me retirei deixando votos de uma confortável noite.

Fui até meu Dono que já estava no quarto, preparei a cama para que Ele se deitasse e com um boa noite, Ele me deu ordens de estar de pé as 5 da manhã para preparar o café da Rainha e em seguida começaria nossa sessão. No dia seguinte, as 5 horas estava de pé preparando o café. Às 6 horas, ouvi as vozes do Senhor e Senhora e me preparei para recebê-los. Tomaram o café tranquilamente e enquanto eu arrumava a cozinha, preparavam tudo para a sessão.

Assim que recebi a ordem, nos encaminhamos para o quarto de sessão e me coloquei de joelhos. Meu Dono se sentou em Sua confortável poltrona para assistir à sessão e apenas me disse que eu deveria obedecer à Senhora como se Ela fosse minha Dona agora. Eu agradeci à Senhora pela honra de ser usada por Ela e ofereci minha submissão para a realização de seus desejos.

A música suave ecoou no ambiente e a sessão começou.

A Rainha ordenou que eu me levantasse e me debruçasse na cadeira que estava na minha frente para fazer a inspeção. Examinou-me inteira...abriu todos os meus buracos...minha boca...examinou meus seios. levou um longo tempo se certificando que eu estava como uma submissa deve estar. Assim que terminou, ordenou que eu fosse de quatro até meu Dono, beijasse Seus pés e agradecesse pela sessão. Fiz isso me sentindo muito feliz.

A Senhora então abriu meu anus, colocou um rabinho e me deu uma ordem:

- Ande pelo quarto todo rebolando para mim. Abane bem o rabinho como uma cadelinha de verdade.

Andei pelo quarto rebolando como uma cadela feliz, ia até perto da Senhora e cheirava Seus pés e continuava rebolando. De repente fui até perto Dela novamente, levantei os braços como se fossem patinhas e com a língua para fora comecei a agradar a Dona. Ela então colocou uma guia na coleira e me acompanhou pelo quarto todo, de vez em quando fazendo cafuné no meu cabelo como uma cadelinha. De vez em quando me brindava com um petisco como um premio.

Foi quando Ela disse a meu Dono que ia começar a me preparar para a sessão. Ordenou que eu me colocasse de bruços na cama alta que ficava no meio do quarto esticou meus braços para a cabeceira da cama e os amarrou fortemente. Passou uma tira de couro entre minha cabeça e a cama prendendo-me bem a ela para que eu não pudesse movimentar a cabeça. Sob minha barriga colocou uma almofada bem alta para que minha bunda ficasse empinada. Abriu minhas pernas, expondo toda a minha intimidade e amarrou cada tornozelo nos pés da cama.

Fiquei totalmente esticada, imóvel e exposta. Comecei a sentir uma excitação que foi denunciada pela umidade da minha buceta. A Senhora então acariciou minha buceta, sentindo o meu tesão. Passou a mão pelo meu corpo todo, meus cabelos, meu rosto e me esbofeteou chamando-me de vadia. Depois foi a vez do meu ânus. Abriu-o com as mãos para examiná-Lo e se agradou em vê-lo lisinho sem nenhum pelo. Passava o dedo em volta e enfiava um dedo, me causando arrepios e mais tesão.

Arrumou melhor a almofada para que minha bunda se empinasse o máximo possível e foi preparar os acessórios para um enema. Meu Dono nunca havia me feito um enema e eu estava assustada. Ele sempre me disse que isso um dia ou outro ia acontecer, só não me disse que seria com outra pessoa - uma Rainha sádica.

A Senhora pendurou a bolsa de soro fisiológico num suporte em cima da cama, e enfiou a mangueira que descia da bolsa em meu cu. Abriu a torneirinha e logo pude sentir o soro me invadindo calmamente mas já me causando desconforto. Aquela situação me deixou muito constrangida. Sentia a vergonha da humilhação corar meu rosto e na posição em que me encontrava podia ver meu DONO e a RAINHA conversando animadamente.

Sabia que aquilo levaria um tempo longo e que meu sofrimento ainda nem havia começado. A Senhora avisou que eu me segurasse. As cólicas começaram fracas tornando-se insuportáveis conforme meu intestino ia sendo preenchido pelo soro. Por algumas vezes Ela veio até mim e enfiando a mão por baixo, massageava minha barriga causando-me um sofrimento insuportável. Eu gemia, tentava me mover e ouvia da Senhora:

- Cuidado vadia para não soltar nada ainda!!!!

Meu DONO por duas vezes também se aproximou para ver de perto o meu sofrimento. Massageou minha barriga com um delicioso sorriso. Percebi que Seu pau estava totalmente rijo e que a cena dava-Lhe prazer.

Meus gemidos em nada afetavam aos dois. Continuavam a conversar sobre os mais diferentes assuntos, mas eu já nem escutava mais. Estava voltada para as minhas cólicas e para segurar o que insistia em querer sair. Isso levou minutos intermináveis. Eu estava desesperada quando a Senhora veio até a bolsa e percebendo que estava vazia, tirou a mangueira do meu cu.

Novamente massageou minha barriga, em movimentos circulares. Aquilo era uma tortura imensa. Eu já não me controlava mais...estava como louca..tentava espernear, me soltar das mãos dela, mas só o que conseguia era gemer e gritar o que divertia ainda mais meu DONO. Assim que percebeu minha barriga muito dura, a Senhora me desamarrou, ordenou que eu me levantasse e que fosse me esvaziar no banheiro. Senti-me ainda mais humilhada...o banheiro não tinha porta e Eles me observavam com prazer.

Esquecendo a vergonha e humilhação, não segurei mais e soltei tudo que estava dentro de mim. As lágrimas desciam sem parar. Eram lágrimas de sofrimento, de vergonha e de felicidade por ver meu DONO gozar ao me ver naquela situação. Aquele gozo Dele me tranquilizou. Fiquei ali por alguns minutos sob ordem da Senhora. Ela queria se certificar que eu estaria de fato com o intestino limpo. Ela também havia se masturbado e gozado.

Terminada finalmente toda a minha tortura, a RAINHA se aproximou, ordenou que eu ficasse de joelhos diante dela, e urinou em cima de mim. Senti aquele líquido morno escorrer por todo o meu corpo enquanto ela se divertia. Meu Dono também se aproximou e foi a vez Dele urinar em mim. Meu corpo estava todo sujo, molhado. Mas Ele estavam saciados.

A Senhora então abriu o chuveiro frio e ordenou que eu tomasse banho e enquanto eu obedecia pude assistir os dois transando e gozando intensamente. O ciúme tomou conta de mim, mas eu estava feliz porque sei que meu DONO havia se realizado mais uma vez através do meu sofrimento. Assim que Eles terminaram, enquanto ainda estavam nos braços um do outro, meu DONO disse:

- minha vadiazinha, agora você está pronta para iniciarmos a sessão..e saiba que de hoje em diante faremos o enema uma vez por semana.

por: karla { K@ }


  • Negrito
  • Itálico
  • Sublinhado
  • Stroke
  • Citação
  • Smileys
  • :confused:
  • :cool:
  • :cry:
  • :laugh:
  • :lol:
  • :normal:
  • :blush:
  • :rolleyes:
  • :sad:
  • :shocked:
  • :sick:
  • :sleeping:
  • :smile:
  • :surprised:
  • :tongue:
  • :unsure:
  • :whistle:
  • :wink:
 
  • 500 Caracteres restantes